Infecção do trato respiratório superior: entenda o que é

infecção do trato respiratório superior

Você já teve sinusite? E laringite? Esses problemas pequenos, mas muito incômodos, são apenas duas das várias formas de infecção do trato respiratório superior. Por isso, essas infecções são bastante comuns e atingem muita gente, deixando qualquer atividade mais desconfortável.

No nosso artigo de hoje, você vai entender o que é o trato superior respiratório e quais são as infecções que atacam esse sistema. Além disso, você vai conhecer melhor essa região do nosso corpo e aprender como tratar cada um dos problemas.

homem tossindo e com dor de garganta

O que é o trato superior respiratório?

O trato superior respiratório está localizado no interior do rosto humano.  Estamos falando dos seios da face, das passagens nasais por onde respiramos, da faringe e da laringe. É através desta estrutura que o ar que respiramos vem de fora, passa pela região nasal e, em seguida, vai para os pulmões. Ou seja, é um dos mecanismos que faz a respiração acontecer de verdade. ¹

O que é uma infecção do trato superior respiratório?

Primeiramente, é importante saber que uma infecção do trato superior respiratório é um processo de infecção de qualquer um dos componentes que formam o sistema. Como o nosso rosto está sempre em contato com o exterior, o nariz e a boca acabam funcionando como receptores de todo tipo de bactéria. Por isso, as infecções que ocorrem nesses órgãos são tão comuns. ¹

As infecções do trato superior respiratório incluem: 1,2,3

  • Rinite alérgica ou não alérgica (inflamação da cavidade nasal).
  • Sinusite (infecção sinusal).
  • Inflamação dos seios da face, região óssea que fica no interior do nariz.
  • Resfriado (rinofaringite)
  • Faringite por infecção (inflamação da faringe, da úvula e das amígdalas).
  • Epiglotite por infecção (inflamação da epiglote, que é a parte superior da laringe).
  • Laringite por infecção (inflamação da laringe).
  • Laringotraqueíte por infecção (inflamação da laringe e da traqueia ao mesmo tempo).
  • Traqueíte por infecção (inflamação apenas da traqueia).

Quanta coisa, não é? Esses tipos de infecção são causas frequentes nos consultórios médicos. Para estudantes e trabalhadores, quase sempre o médico recomenda o afastamento das funções por um período entre 1 e 3 dias. ¹

Sintomas

Em geral, os sintomas mais comuns apresentados não são tão graves e incluem: ¹

  • Coriza.
  • Dor de garganta.
  • Tosse.
  • Dificuldade de respirar.
  • Letargia, que é um tipo de cansaço onde o paciente caracteriza por indisposição.
  • Dor de cabeça.

Também podem ocorrer sintomas bem menos comuns, tais como:

  • Mau hálito.
  • Coceira nos olhos.
  • Vômito.
  • Diarreia.

O tempo médio de duração dos sintomas varia entre 3 e, no máximo, 14 dias. Todavia, se os sintomas durarem mais tempo do que isso, o paciente deve, imediatamente, procurar um médico para ter um diagnóstico mais aprofundado. ²

Frequentemente, casos mais prolongados são diagnosticados como sinusite, amigdalite, pneumonia, bronquite ou algum tipo de alergia mais específica. ¹

infecções respiratórias

Ocorrências

Uma infecção do trato superior respiratório pode, acontecer em qualquer época do ano. Porém, algumas são mais comuns no inverno. O principal motivo é que, nos meses mais frios, as pessoas passam mais tempo reunidas em locais fechados, como por exemplo, salas de aula, ônibus e escritórios. ²

Outra razão para isso é que muitos tipos de vírus que causam essas infecções superiores, sobrevivem melhor em tempos secos e frios, ou seja, durante o inverno. ¹

Uma infecção do trato respiratório superior pode ser contagiosa?

A resposta é sim. De fato, as infecções que atacam o trato respiratório superior podem ser transmitidas. Isso pode ocorrer pela proximidade ou pelo compartilhamento de objetos. 1,2

Então, quando o infectado tosse ou espirra, libera no ar gotículas que se espalham e ficam nas superfícies. A pessoa que está saudável, muitas vezes sem perceber, toca nos locais infectados e leva vírus e bactérias para o nariz e a boca.

Por isso, quem está infectado, deve cobrir o nariz e a boca para espirrar ou tossir. E, se puder, evitar conversar muito próximo de outras pessoas.

Como as infecções acontecem?

Os vírus e as bactérias chegam até o nosso corpo de forma bem direta. Ou seja, pelo contato. Mas não é algo tão simples assim. Primeiramente, eles precisam ultrapassar as nossas barreiras físicas e imunológicas naturais. ¹

Por exemplo, os pelos da mucosa do nariz são uma barreira física. É a umidade nasal que envolve esses corpos estranhos e levam para as vias respiratórias. Junto a isso, o sistema imunológico trabalha fazendo a sua parte. Assim, ele tenta impedir que esses seres indesejados invadam as vias aéreas e o corpo no geral, formando muco nasal ou espirrando. ¹

As amígdalas e as adenoides, do mesmo modo, fazem parte do trato respiratório superior, também são parte do sistema imunológico e, quando estão saudáveis, combatem as infecções. Elas utilizam células especializadas, anticorpos e substâncias químicas para destruir os elementos infecciosos. ¹

Mas é como se fosse uma guerra entre o vírus e o corpo. Os vírus e bactérias também têm seus mecanismos de defesa para resistir à destruição. Eles produzem toxinas que prejudicam nossos sistema de defesa ou vão se modificando para se disfarçar. Assim, nosso sistema imunológico pode ter dificuldade de reconhecer o vírus. ¹

A partir do momento em que o vírus entra no corpo, começa o período de incubação até o aparecimento, de fato, dos primeiros sintomas. ¹

infecção do trato respiratório superior - cuidados

Hábitos perigosos e fatores de risco

Como em toda doença, algumas situações colaboram, de fato, para que uma pessoa em situação de maior risco  desenvolva infecções. 1,2,3

  • Ficar diretamente em contato físico com alguém que esteja doente.
  • Não lavar as mãos com frequência ou lavar de maneira inadequada.
  • Ficar no meio de multidões.
  • Fumar, seja ativa ou passivamente (o fumo passivo é, em outras palavras, quando ficamos perto de quem fuma recebendo a fumaça. Isto pode prejudicar a resistência da mucosa nasal).
  • Ter alguma condição de saúde que comprometa o sistema imunológico. Por exemplo: ter HIV e não fazer o uso correto dos medicamentos, ter um órgão transplantado, usar esteroides sem orientação médica por muito tempo, entre outras.
  • Ter alguma anormalidade na forma do rosto. Assim como: pólipos nasais, traumas faciais ou trauma das vias aéreas.
  • Possuir algum tipo de alergia.

Possíveis complicações

Infelizmente, alguns casos de infecção não tratadas a tempo podem evoluir para casos mais complicados. ¹

Por exemplo, pode acontecer o comprometimento das barreiras físicas. Isto pode levar o paciente a ficar muito mais propenso à invasão de vírus e bactérias durante a vida. ¹

Em outros casos, a inflamação dos seios da face podem migrar para o cérebro, ou seja, formando a meningite. E esta é, de fato, uma doença perigosa. ¹

Em casos mais raros, algumas infecções chegam ao coração, formando a miocardite. ¹

Por fim, quem tem doenças respiratórias como a asma deve redobrar os cuidados. A asma é uma doença crônica com fortes crises que pode, assim, levar ao óbito. ¹

Em alguns casos, o paciente precisa, inclusive, ser internado. Isso acontece, principalmente, se a infecção respiratória causar desidratação; se ela causar hipóxia, que é a dificuldade respiratória com má oxigenação; acontece, também, se o estado de confusão da letargia for mais intenso do que o normal; ou se o caso for agravado pela existência de doenças respiratórias crônicas, como a asma. ¹

A internação costuma acontecer, também, com crianças menores de 2 anos, idosos e pessoas com a imunidade permanentemente comprometida. ¹

Tratamentos para infecção do trato superior respiratório

É comum que pacientes com infecções do trato superior respiratório façam o próprio diagnóstico e comecem o tratamento por conta própria. Porém, nós recomendamos que sempre procure um médico para acompanhar a evolução do caso e, assim, receber a receita dos medicamentos e tratamentos adequados. 1,2,3

Na maioria dos casos, a primeira recomendação é o repouso. Dependendo de como o vírus ataca, pode até ser possível continuar as atividades diárias, ainda que seja num ritmo mais lento. 1,2,3

As infecções respiratórias também podem ser tratadas com uma ingestão maior de líquido. A coriza, a febre e a falta de apetite fazem o corpo perder mais fluido durante os dias da doença. 1,2,3

Mas a contribuição mais importante é, sem dúvida, a dos medicamentos. A recomendação médica pode incluir: medicamentos para dor e febre, anti-inflamatórios não-esteroides, anti-histamínicos para reduzir as secreções. Assim como: medicamentos para tosse, descongestionantes e antibióticos. 1,2,3

Lembramos que nenhum medicamento deve ser usado sem a validação de um médico. Alguns medicamentos que citamos, por exemplo, os antibióticos, podem ter efeitos colaterais diversos (assim como qualquer medicação feita de forma abusiva). Além disso, as condições para o uso de cada um pode variar de acordo com a idade, o peso, e outros atributos fisiológicos. 1,2,3

Procedimentos de cirurgia podem ser necessários, porém, apenas em casos específicos. Bem como formação de abcessos atrás da garganta ou infecções mais complicadas. 1,2,3

A importância da saúde respiratória

Aqui no blog da Supera a saúde respiratória é, sem dúvida, uma das pautas mais importantes. Nós temos aqui artigos completos sobre febre, bronquite, pneumonia, rinite, sinusite, alergias e muito mais.

Então, se você gostou deste conteúdo, se ele te ajudou a responder alguma dúvida, nos encontre nas nossas redes sociais, também! Lá no nosso Instagram e no nosso Facebook tem muito mais informação. Aproveite, também, para compartilhar com alguém que gostaria de saber mais sobre o trato respiratório superior.

Então até a próxima e obrigado pela leitura!


Colaborou com este artigo:

Dr. Ricardo Hieki Nozuma – CRM SP 108088


Referências bibliográficas e a data de acesso:

1. Medicine Net – 09/07/2021

2. Healthline – 10/07/2021

3. Harvard Medical School – 10/07/2021