Como aumentar a produção de leite materno? Confira 5 dicas

como aumentar a produção de leite materno

Para quem não tem filho, amamentar parece algo simples: como se bastasse oferecer o seio que o bebê já iria mamar. Mas, na realidade, amamentar é um processo que envolve outros fatores, entre eles a posição e a pega corretas, por exemplo, que chegam a influenciar até no fluxo de leite, fazendo com que a mulher ache que não produz leite o suficiente. Diante disso, é muito comum que as mães se perguntem como aumentar a produção de leite materno. Por isso, esse é o tema de hoje. Vamos falar dos fatores que influenciam a produção de leite e o que fazer para aumentá-la.

Como o leite materno é produzido? ¹

Quando a mulher não está grávida, as glândulas mamárias permanecem em um estado de dormência, ou seja, não produzem leite. Porém, logo no início da gravidez, os hormônios estrogênio, progesterona, prolactina e lactogênio placentário dão início ao estado secretor.

Assim, primeiramente, ocorre a extensa proliferação das células alveolares, fazendo com que a glândula aumente rapidamente de tamanho. Porém, ao contrário do que se possa pensar, durante a gravidez não há produção de leite. Esta fica bloqueada pelas altas concentrações de progesterona e estrogênio. É somente após o parto quando a progesterona e o estrogênio caem que as células alveolares iniciam a produção e secreção do leite materno para a glândula.

Quer dizer que o leite é produzido somente depois que o bebê nasce? ²

Exatamente. E, detalhe, o primeiro fluido produzido ainda não é leite, mas sim, colostro. Mesmo o colostro não tem sua produção iniciada imediatamente, ao contrário, demora cerca de 30-40h após o parto. E somente um pequeno volume é produzido a cada 24h. O colostro contém um alto teor de anticorpos e uma baixa concentração de lactose e gordura, por isso, sua principal função é imunológica e não nutricional.

O segundo passo da amamentação envolve a liberação de um outro hormônio: a ocitocina, que ocorre quando o bebê suga o mamilo. Este hormônio faz com que ocorra a “descida do leite”, que é tecnicamente chamada de reflexo de ejeção do leite, ocasionada pela contração que move o leite em direção ao mamilo.

Por isso, quanto mais cedo a sucção ocorrer, mais rapidamente o leite começa a ser produzido, e este é um estímulo importantíssimo para a regressão e parada de  sangramento do útero. O que explica a importância do bebê ser colocado no colo da mãe imediatamente após o nascimento para a realização da sucção espontânea.

Vamos conhecer cinco itens que podem ajudar a aumentar  a produção de leite materno. Confira:

Cinco dicas para aumentar a produção de leite materno 3

  1. Livre demanda: ofereça o seio sempre que o bebê sentir fome, não se prenda à horários. Isso faz com que o organismo se autorregule conforme a demanda do bebê.
  2. Mamada eficiente: o ideal é que o bebê esvazie a mama antes de ser levado à outra.
  3. Descanse: o descanso é fundamental para e produção de leite, tire uma soneca após o almoço, se possível, por isso é muito importante que a mãe saiba distinguir quando o bebê está mamando ou só “chupetando” para se acalmar.
  4. Alimente-se adequadamente: coma bem, de forma balanceada e em horários regulares. Evite alimentos industrializados, dê preferência à alimentos frescos, frutas, verduras e legumes.
  5. Hidrate-se: beber água é tão fundamental quanto uma alimentação adequada. Mantenha uma garrafinha de água sempre por perto.

Agora que você já conhece algumas coisas que ajudam na produção de leite materno, vamos falar dos fatores que podem atrapalhar:

Fatores que podem atrapalhar a produção de leite materno

Produzir leite em quantidade suficiente é certamente uma preocupação entre as mães, sejam elas de primeira viagem ou não. Por isso, listamos algumas atitudes que prejudicam a produção de leite materno. Confira!

Lista de atitudes que podem prejudicar a produção de leite materno: 4

  • Consumo de álcool: o álcool, inclusive a cerveja preta, não ajuda na produção de leite materno, muito pelo contrário: atrapalha. O consumo de álcool pela mãe pode fazer com que o gosto do leite seja alterado e deixe o bebê mais sonolento, o que faz com que o bebê diminua as mamadas, e quanto menos bebê mama, menor é a produção de leite.
  • Pega incorreta e posição desconfortável: a pega é um fator chave no que diz respeito à produção de leite. Ela tem um papel fundamental, uma vez que uma boa pega favorece o esvaziamento da mama. Porém, de nada adianta uma boa pega, ou até mesmo a posição “correta” se não existe o conforto. O ato de amamentar deve ser feito em um lugar tranquilo, agradável e confortável, nesse sentido vale utilizar apoios para o braço e pés e estar atenta para manter uma posição que permita que ombros estejam relaxados.
  • Ingurgitamento mamário: mamas ingurgitadas, ou seja, excessivamente cheias não são bom sinal. O leite materno contém inibidores de feedback da lactação que inibem a produção de leite. Assim, é preciso esvaziar a mama para poder eliminar esses inibidores e ocorrer o estímulo da produção de leite. Outro mecanismo local da produção de leite é o receptor da prolactina. Se a mama está muito cheia, a prolactina não consegue chegar ao receptor, o que acaba por inibir a produção de leite. 5
  • Uso de anticoncepcional comum: as pílulas anticoncepcionais comum geralmente são à base de estrogênio, hormônio que inibe a produção do leite. Por isso, as pílulas mais recomendadas para as mulheres em fase de amamentação são aquelas à base de progestagênio, um tipo de progesterona sintética também conhecido como progestina. Entenda mais sobre o uso de anticoncepcional durante a amamentação clicando aqui.

Como saber se meu bebê está recebendo leite o suficiente? 6

Saber dos fatores que podem interferir negativamente na produção e leite pode acender a dúvida: será que o bebê está recebendo leite suficiente? Para responder a isso é fundamental observar o seu bebê, principalmente se as fezes e o xixi estão normais.

Fezes em pequenas quantidades com aspecto seco e duro e xixi em pouca quantidade podem ser sinais de ingestão insuficiente de leite. Já se a troca de fraldas de xixi, cerca de 6 a 8 fraldas por dia, e as fezes estão com consistência pastosa e mole é sinal de que o bebê está bem hidratado.

Além disso, é importante estar atenta ao ganho de peso do bebê. Contudo, não é preciso buscar um ganho X de peso, já que isso varia de bebê para bebê. Por outro lado, a perda de peso ou o ganho abaixo do esperado podem estar relacionados à ingestão insuficiente de leite e ocasionalmente com a real baixa produção de leite materno.

A quantidade de leite produzida por cada mulher é muito individual, às vezes fazemos tudo certo e temos uma produção insuficiente para este bebê e não há nada de errado com isso. Assim, é importante fazer a observação das fezes, urina e peso para que se necessário, possa se fazer a complementação com o produto adequando, indicado por pediatra.

Acompanhe a Supera e compartilhe este artigo. Ajude a levar mais informação e bem-estar para as mulheres a sua volta!


Colaborou com esse artigo:

Dra. Karen Rocha De Pauw
Ginecologista – CRM-SP 106923
Site: www.doutorakaren.com


Referências bibliográficas e datas de acesso

1 – Bebê Abril – 10/05/2020

2 – Eureka Brasil – 10/05/2020

3 – Bebê Abril – 11/05/2020

4 – Pediatria descomplicada – 11/05/2020

5 – O Meu Bebê – 11/05/2020

6 – Medela – 12/05/2020