Prevenção de quedas em idosos: 4 dicas para uma casa segura!

casa segura para promover a prevenção de quedas em idosos

Você sabia que as quedas são a 3° causa de morte nas pessoas acima de 65 anos? Por isso falar de prevenção de quedas em idosos é um assunto tão importante! ¹

É também por esse motivo que entre os  dias 23 e 26 de junho, foi instituída a semana mundial de prevenção de quedas. É verdade que elas podem acontecer com pessoas de todas as idades, mas nos idosos, as complicações podem ser graves.

Embora muitas pessoas idosas se mostrem bastante ativas em preservar a sua autonomia e independência, não podemos ignorar que nessa fase, o corpo começa a dar sinais de fragilidade, e isso é natural.  As atividades de do dia a dia podem sofrer algum prejuízo em termos de ritmo ou eficiência. Por isso, devemos estar atentos a medidas de prevenção, e isso vale tanto para doenças, quanto para acidentes.

A Organização Mundial de Saúde relata que a frequência das quedas em pessoas acima de 65 anos é de aproximadamente 28% a 35%. Esses números aumentam para 32% a 42% quando os idosos têm mais de 70 anos. O que mais chama atenção, no entanto, é que a casa é o local onde as quedas mais acontecem. ²

Veja no infográfico abaixo algumas medidas simples para tornar a casa um ambiente mais seguro e contribuir para a prevenção de quedas em idosos:

Infográfico-Prevenção de Quedas em Idosos

Como evitar quedas em casa?

Como falamos no início desse artigo, o ambiente onde as quedas mais acontecem são dentro da própria casa. Por isso, é justamente esse ambiente que requer mais adaptações e cuidados. Veja algumas dicas por cômodos 2,3:

1 – Prevenção de quedas: cozinha

• Tapete antiderrapante

Coloque uma passadeira ou fita adesiva antiderrapante em frente à pia, pois isso vai evitar que o piso fique escorregadio por causa dos resíduos de água, sabão e restos de alimentos que caem no chão.

• Abaixar a altura dos armários

Ao fixar os armários na parede, é importante que eles estejam à uma altura confortável, para que o idoso consiga usá-lo sem precisar se esticar ou mesmo usar banquinhos e escadas. Na hora de organizar os utensílios, vale a pena pensar em armazená-los de forma que as coisas que são mais usadas no dia a dia estejam mais fáceis de localizar e também mais próximas do alcance do idoso.

2 – Prevenção de quedas: sala de estar e jantar

•  Sofás e poltronas com braços de apoio e altura adequada

Prefira sempre cadeiras, poltronas ou sofás com braços, pois esse apoio facilita muito o ato sentar-se ou levantar-se. A altura desses móveis também é importante, pois quando pensamos na prevenção de quedas em idosos, é preciso sensibilidade para entender que as dificuldades estão escondidas nos menores detalhes.

Por exemplo, um sofá muito baixo vai exigir muito mais força do tronco e dos braços na hora de se levantar, e muito mais equilíbrio na hora de sentar. Já um móvel muito alto precisará de impulso. O esforço para usar esses móveis pode causar quedas com sérias consequências. Por isso, escolha móveis na altura ideal para o idoso em que seus pés e costas fiquem completamente apoiados.

• Evitar obstáculos pelo caminho

Abra espaço! Elimine de casa tudo aquilo que possa ser obstáculo ou provocar escorregões, como por exemplo fios, tapetes, mesas de centro, pufs e outros objetos. Outra dica é não usar pisos encerados, pois esse também é um fator importante para evitar quedas nesses ambientes.

• Crianças pequenas e animais de estimação

Se a casa também for frequentada ou habitada por crianças, é bom estar atento para não deixar brinquedos  e outras coisas espalhadas pelo chão, assim como, para que os pequenos não obstruam a passagem. Quando o assunto é pets, procure mantê-los fora do espaço de circulação dos idosos, isso tudo vai garantir a segurança do idoso, das crianças e dos animais de estimação.

3 – Prevenção de quedas: banheiro

•  Barras de apoio

O banheiro é uma área naturalmente úmida e quase sempre é o menor cômodo da casa. Para torná-lo mais seguro e confortável para os idosos, devem ser usadas barras de apoio ao lado do vaso sanitário e dentro do box. Elas precisam ter no mínimo de 60 cm de comprimento e  estarem fixadas a 75 cm do piso.

• Iluminação acessível ou automática

Muitos idosos têm necessidade de ir mais vezes ao banheiro, inclusive durante a noite. Por isso, é muito importante que o interruptor de luz esteja próximo à porta. A instalação de luzes com acendimento automático pode ser uma opção, mas é sempre importante procurar por um equipamento que seja extremamente sensível ao movimento, pois a ideia é facilitar o acesso. Logo, se o idoso precisar se mexer muito para que a luz acenda, isso será um problema, ao invés de uma solução. Outra opção é deixar uma lâmpada de baixo consumo de energia ligada durante toda a madrugada.

• Piso antiderrapantes 

Seja a cerâmica um pouco mais áspera, ou um tapete antiderrapante fixado ao chão, é muito importante que esse ambiente seja repensado para colaborar com a prevenção de quedas em idosos.

• Retirar a chave

A maioria das portas do banheiro já vem com uma chave embutida. É muito importante tirar esse tipo de recurso, e orientar o idoso a não impedir o acesso à esse cômodo, uma vez que no caso de uma queda, a ajuda chegará mais rápido!

• Soluções criativas

Outras iniciativas dentro de casa podem oferecer mais segurança para os idosos. Colocar o sabonete dentro de uma meia calça e fixá-la ao registro box, pode ser uma boa saída para evitar que o idoso se abaixe para pegar o sabonete que caiu no chão.

Lembre-se também que os idosos altos podem ter dificuldade de sentar-se ao vaso sanitário, por isso, um elevador de assento pode facilitar bastante.

4 – Prevenção de quedas: quarto

• Cama 

Nesse cômodo, assim como na sala de estar ou jantar, é importante estar atento à a altura dos móveis de descanso. A altura da cama está correta quando, sentado em sua beirada, é possível colocar os pés no chão.

• Móveis e utensílios

Embora os móveis de apoio ao lado da cama possam ser úteis para usar uma iluminação indireta e deixar à mão o acesso a água ou outros recursos que o idoso possa precisar, é muito importante que ele seja preso ao chão, ou suspenso na parede, pois ao fazer o apoio para levantar-se, a movimentação desse móvel pode favorecer uma queda. Os tapetes que ficam ao lado da cama também devem estar fixos ao chão, ou serem descartados para evitar escorregões e quedas.

•  Iluminação

Um abajur ou interruptor de luz deve estar ao lado da cama, para evitar que o idoso se levante no escuro.

•  Necessidades fisiológicas

Se o banheiro for muito longe ou de difícil acesso, talvez seja necessário usar urinol (papagaio) ou comadre no quarto.

•  Organização

Organizar o guarda-roupas, por exemplo, pode ser uma grande ajuda. Coloque as roupas individuais ou roupas de cama mais utilizadas em local de fácil acesso.

É importante lembrar que geralmente os idosos têm mais chances de cair, uma vez que acumulam uma série de fatores de risco, por exemplo, prejuízos na visão, audição, e locomoção, muitas vezes fazendo uso de bengalas ou andadores. A fraqueza muscular também é comum nesse grupo.

Além disso, o uso de medicamentos também pode alterar algumas dessas capacidades físicas, por isso é tão importante estar atento. Quando o assunto é artigos de uso pessoal, vale pena prestar atenção aos calçados, para que tenham sola antiderrapante e estejam no tamanho adequado, nem muito folgados, nem apertados. Dê preferência àqueles que aderem bem ao pé e que sejam fáceis de calçar.

Outra dica valiosa é estimular o idoso a fazer atividade física, com ênfase no fortalecimento muscular para que ele tenha mais disposição, força, qualidade de vida e também tenha a oportunidade de fazer novos amigos e aliviar o estresse.

Prevenção de quedas e osteoporose

Algumas doenças aumentam os riscos de quedas, ou pioram suas consequências, é o caso da osteoartrose e a osteoporose.

A osteoporose é uma doença que enfraquece os ossos, deixando-os mais frágeis, o que naturalmente aumenta muito a chance de sofrer fraturas. A prevenção de quedas em idosos com osteoporose é um assunto muito sério.

Vale lembrar que a osteoporose provoca 2.4 milhões de fraturas todos anos, e que algumas fraturas podem ter consequências muito graves. Quando elas acontecem em regiões como os quadris ou fêmur, por exemplo, isso pode significar a perda da capacidade de andar e até mesmo a invalidez.

Pelo menos metade dos pacientes com fratura de fêmur não consegue mais andar, e um quarto necessita de cuidado domiciliar prolongado. Infelizmente, 75% dos diagnósticos de osteoporose são feitos após a primeira queda, isso acontece principalmente porque essa é uma doença silenciosa e sem sintomas. ³

Saiba mais sobre osteoporose clicando aqui.

Atenção médica na prevenção de quedas em idosos

Lembrando que é papel do médico ficar atento ao paciente que tenha mais de 2 quedas em 6 meses, pois esses têm mais chances de sofrer uma fratura, que é um fator de risco para mortalidade, invalidez, atrofia muscular, isolamento social, solidão e até mesmo depressão.

Muitos pacientes apresentam medo de voltar a andar após a primeira queda. A fisioterapia é fundamental nesse sentido, um bom fisioterapeuta vai ajudá-lo com exercícios para equilíbrio, fortalecimento muscular, coordenação motora, visualização espacial, etc. Essas são formas de ajudar o idoso a retomar as suas atividades e até mesmo sua independência, devolvendo a ele a alegria de viver. 4

Casa segura para idosos e o aspecto emocional das mudanças

Para criar um ambiente seguro e acolhedor, é sempre importante investir no diálogo e estabelecer alguns combinados, pois as mudanças no ambiente podem gerar resistência e incômodo.

No momento em que o idoso começa a ter prejuízos no seu ritmo e locomoção, o impacto emocional é muito forte. Ele perde parte de sua autonomia, independência e até mesmo sua privacidade, pois como comentamos, os cômodos não poderão mais ser trancados, nem mesmo para as necessidades e banho, porque em caso de queda ou outra emergência, a ajuda precisa chegar rápido.

Tudo isso pode ser bastante difícil de lidar. Por isso, tenha paciência, respeite o espaço individual do idoso e permita que ele faça tudo que ainda têm condições, isso vai ser essencial para sua autoestima e saúde mental. Muitas vezes na esperança de ajudar, a família acaba sufocando a autonomia e invadindo a privacidade da pessoa idosa.

Claro que todas essas adaptações também repercutem nos cuidadores, então, procure ajuda de um psicólogo para o idoso, para você, ou para outros membros da família se sentir que as mudanças afetam muito o ambiente familiar e o bem-estar de todos.


Colaborou com este artigo:

Dra. Daniela Maria Cardozo – CRM 119421 – Geriatra


***

Gostou do artigo? Compartilhe com seus amigos e familiares, idosos ou cuidadores.  Ajude mais pessoas a passarem por essa fase com mais tranquilidade e harmonia!

Referências bibliográficas e datas de acesso

1 – G1 – acesso 28/05/2020

2 – Prefeitura de São Paulo – 28/05/2020

3 – Hospital Sírio Libanês – acesso em 28/05/2020

4 – Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia – acesos em 17/06/2020