Doença de Parkinson e Qualidade de Vida

doença de parkinson e qualidade de vida

A doença de Parkinson pode ser extremamente desafiante. Já que lidar com sintomas como tremores, lentidão e dificuldades de comunicação, muitas vezes dificulta a autonomia e a qualidade de vida da pessoa portadora da doença de Parkinson. Por isso, é muito importante que ela esteja amparada por um ambiente seguro, acolhedor e que o auxilie a medida em que a doença evoluí.

Sabemos que o Parkinson acontece por conta da diminuição da produção de dopamina no cérebro. Mas o que é dopamina? A dopamina é um neurotransmissor que leva informações de uma célula para outra. É por causa dela que temos a sensação de nos movimentar de forma quase automática, sem precisar fazer grandes esforços. No entanto, aos poucos o Parkinson vai comprometendo essa capacidade que temos de controlar nossos movimentos. ¹

Infelizmente, a ciência ainda não sabe explicar o interrompimento da produção da dopamina, que acontece na doença de Parkinson. O que sabemos, no entanto, é que existem muitos cuidados que podem atrasar a evolução da doença.

Doença de Parkinson e Qualidade de Vida

Então, isso significa que o tratamento adequado, somado a hábitos de vida mais saudáveis e prazerosos, poderão ajudar muito na caminhada da pessoa que enfrenta a doença.

Hoje queremos convidar todos os parkinsonianos para um olhar que vai além da suas condições. Vamos reconhecer os sintomas, mas também vamos falar de todas as iniciativas que podem colaborar para uma vida mais confortável, saudável e independente.

Também queremos estender o convite para toda rede de apoio, como por exemplo familiares e cuidadores. Nosso propósito é incentivá-lo a olhar para a pessoa que convive com doença de Parkinson com mais empatia e solidariedade 🙂

Entenda mais sobre as condições e como amenizar o impacto do Parkinson no dia a dia.

Esperamos que esse conteúdo tenha contribuído para promover a conscientização sobre a doença de Parkinson.  Por isso, lembre-se que embora o desafio seja grande, é preciso olhar e viver um dia de cada vez!


Colaborou com este artigo:

Dra. Daniela Maria Cardozo – CRM 119421 – Geriatra


Referências bibliográficas e data de acesso

 1. Sociedade Beneficente Albert Estein – 27/03/2020