7 tipos de depressão e suas causas, sintomas e tratamentos

7 tipos de depressão e suas causas, sintomas e tratamentos

Ficar com a energia lá embaixo de vez em quando é normal. No entanto, quando esse é um problema frequente e que interfere negativamente em diferentes áreas da sua vida, é importante buscar ajuda com um psicólogo ou psiquiatra para descobrir se essa falta de energia, desânimo ou até mesmo tristeza está relacionada a algum dos tipos de depressão.

A depressão é uma doença  altamente incapacitante e que precisa de tratamento multidisciplinar, podendo envolver desde medicamentos antidepressivos e acompanhamento psicológico, até mudanças no estilo de vida. Isso é importante pois o tratamento possibilita a cura e a prevenção de consequências graves da depressão como o suicídio, uma causa de morte que pode ser evitada com a acolhimento, conscientização e tratamento. Não à toa, existe o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio que acontece em 10 de setembro e também a campanha Setembro Amarelo, pensados com o objetivo de chamar a atenção da população para esse assunto tão importante.

Diferente do que muitos podem imaginar, existem vários tipos de depressão, e não apenas um. Durante o texto que você está prestes a ler, falaremos sobre os principais tipos de depressão e suas causas, sintomas e tratamentos. Quer saber mais sobre o tema? Então vem com a gente!

1- Depressão maior

Clinicamente chamada de “transtorno depressivo maior”, é certamente um dos tipos de depressão mais comuns. Pessoas com transtorno depressivo maior enfrentam os sintomas da doença na maior parte do tempo e na maioria dos dias da semana.

Sintomas e diagnóstico

Os médicos mais indicados para o diagnóstico são os psiquiatras. Um dos critérios utilizados pelos médicos nesses casos é a presença de cinco ou mais dos seguintes sintomas na maioria dos dias, por 2 semanas ou mais:

  • Perda de interesse em atividades que até então costumavam ser prazerosas;
  • Perda ou ganho de peso corporal;
  • Dificuldade para dormir ou sensação de sonolência durante o dia;
  • Sentir-se inquieto e agitado, ou então muito lento fisicamente e/ou mentalmente;
  • Estar cansado e sem energia;
  • Sentir tristeza, melancolia ou culpa frequentemente;
  • Problemas para se concentrar ou tomar decisões;
  • Comportamentos suicidas: pensamentos, planos ou tentativas de suicídio.

Para ser considerado um caso de depressão maior, pelo menos um dos sintomas deve ser o humor deprimido (falta de energia e/ou tristeza e culpa) ou perda de interesse nas atividades do cotidiano. 1

2- Transtorno depressivo persistente

7 tipos de depressão e suas causas, sintomas e tratamentos
Fonte: Envato – leungchopan

Quando os sintomas depressivos acompanham a pessoa por 2 anos ou mais, trata-se de um caso de transtorno depressivo persistente. O termo é usado para descrever duas condições anteriormente conhecidas como distimia (depressão persistente de baixo grau) e depressão maior crônica. 1

Sintomas

Pessoas com o problemas frequentemente enfrentam sintomas como:

  • Alterações do apetite como não comer o suficiente ou comer demais, por exemplo;
  • Sono irregular, dormindo mais que o comum, ou então muito pouco;
  • Falta de energia, cansaço e/ou fadiga;
  • Baixa autoestima e sensação de impotência frente aos desafios diários;
  • Problemas para se concentrar ou dificuldade para tomar decisões;
  • Sensação de desesperança.

3- Transtorno disfórico pré-menstrual

O transtorno disfórico pré-menstrual (TDPM) atinge entre 3% e 8% das mulheres e é confundido com a “TPM normal” porque acontece no mesmo período, antes da menstruação. Entretanto, a TDPM é considerada muito mais grave, por se tratar de um dos tipos de depressão.

A causa para o surgimento do problema é a baixa de estrogênio (o principal hormônio feminino) que de fato ocorre dias antes da menstruação. É claro, existe ainda a possibilidade de a mulher também ter TPM ao mesmo tempo. Nesse caso, é ainda pior, já que a TPM é muito mais sobre sintomas físicos como dor de cabeça, inchaço e cansaço, por exemplo, o que piora ainda mais a TDPM em si. 2

Vale lembrar que a TPM por si só pode causar alterações no humor, afinal, ninguém fica feliz com dor. No entanto, os sintomas da TDPM são muito mais sérios e complexos do que um simples mau humor. Saiba quais são eles: 1

  • Mudanças de humor;
  • Irritabilidade;
  • Ansiedade;
  • Dificuldade de concentração;
  • Fadiga;
  • Mudança no apetite ou hábitos de sono;
  • Sentimentos de sobrecarga.

4- Depressão perinatal (ou pós-parto)

7 tipos de depressão e suas causas, sintomas e tratamentos
Fonte: Envato – twenty20photos

A depressão perinatal, popularmente chamada de depressão pós-parto, traz consigo os mesmos sintomas da depressão maior, exceto por ocorrerem durante a gestação ou nas primeiras semanas e/ou meses após o parto. Estima-se que uma em cada sete mulheres sofram de depressão perinatal. Naturalmente, quando pensamos sobre o tema sempre relacionamos o problema às mulheres, afinal, é muito mais recorrente nelas. Entretanto, aproximadamente 1 em cada 10 homens também apresentam depressão no período em que esperam por um filho ou após o nascimento dele.

De fato, muitas pessoas podem sofrer em silêncio, atribuindo seus sintomas a uma reação natural quanto a gravidez e o parto. Isso é perigoso pois essas pessoas acabam deixando de procurar atendimento, e o tratamento da depressão perinatal é essencial. Certamente, uma maior conscientização e compreensão podem levar a mais saúde para os pais e seus bebês.

Como nos outros tipos da doença, a depressão perinatal pode ser tratada com psicoterapia, medicamentos, mudanças no estilo de vida e o suporte de uma rede de apoio. Mulheres grávidas ou amamentando, entretanto, devem discutir os riscos e benefícios da medicação com seus médicos. Em geral, o risco para o bebê é baixo, mas é importante incluir o médico obstetra e/ou pediatra junto a avaliação psiquiátrica para garantir resultados bons e seguros. 3

5- Depressão psicótica

A depressão psicótica é mais um dos tipos de depressão. Ocorre quando somam-se aos sintomas da depressão maior alguma forma de psicose, como por exemplo alucinações e delírios, como ouvir vozes ou ter sentimentos intensos de inutilidade e fracasso. Essas pessoas podem ter ideias estranhas e ilógicas como pensar que outras pessoas podem ouvir seus pensamentos ou que estão tentando prejudicá-las. É comum que elas passem muito tempo sozinhas ou na cama, dormindo durante o dia e ficando acordados à noite.

De fato, pessoas com outras doenças mentais, como esquizofrenia, também apresentam psicose. Mas aqueles com depressão psicótica geralmente têm delírios ou alucinações que são consistentes com a depressão, como a sensação de impotência e fracasso, enquanto os sintomas psicóticos na esquizofrenia não têm nenhuma conexão óbvia com um estado depressivo. Confira outros sintomas:

  • Agitação;
  • Ansiedade;
  • Constipação;
  • Hipocondria (quando a pessoa acredita que tem uma doença, geralmente séria, mesmo sem nenhuma evidência médica);
  • Insônia;
  • Deficiência intelectual;
  • Imobilidade física;
  • Delírios ou alucinações.

Normalmente, o tratamento para a depressão psicótica é realizado em hospitais especializados. A pessoa fica internada pois dessa forma tem acompanhamento e supervisão constante dos profissionais de saúde mental. Diferentes medicamentos são usados para estabilizar os sintomas, incluindo combinações de antidepressivos e antipsicóticos. 4

6- Depressão sazonal

7 tipos de depressão e suas causas, sintomas e tratamentos
Fonte: Envato – simonapilolla

É um dos tipos de depressão menos comuns no Brasil. Isso porque ocorre com mais frequência em lugares com temperaturas mais baixas durante os meses de outono e inverno. Ainda não se sabe ao certo suas causas, mas acredita-se que o maior motivo para isso acontecer é o fato de que durante esse período do ano, os dias ficam mais curtos e há menos luz solar disponível. Essa diminuição leva o cérebro a produzir menos serotonina, uma substância química ligada à sensação de bem estar, disposição e satisfação.

A depressão sazonal atinge mais as mulheres do que os homens, e também é mais comum em adultos. Veja quais são os sintomas mais comuns:

  • Tristeza, mau humor e desesperança;
  • Baixa energia e motivação;
  • Dificuldade de concentração;
  • Fadiga;
  • Aumento do apetite;
  • Tendência ao isolamento;
  • Comportamentos suicidas (pensamentos, planos ou tentativas);
  • Ganho de peso.

7- Transtorno bipolar

Apesar de o transtorno bipolar ser uma condição separada, ele é citado entre os tipos de depressão por compartilhar dos sintomas dela em certas fases da doença. A pessoa com bipolaridade tem episódios de humor que variam de extremos de alta energia com um humor “para cima” a períodos depressivos, em que se sentem para baixo e com sintomas de depressão maior.

Os antidepressivos tradicionais nem sempre são recomendados como tratamentos para a depressão bipolar, porque não há provas nos estudos de que esses medicamentos são mais úteis do que um placebo para esses casos. Além disso, para uma pequena porcentagem de pessoas com transtorno bipolar, alguns antidepressivos tradicionais podem aumentar a frequência dos episódios ao longo do tempo. Mas, é claro: apenas um psiquiatra pode tomar as decisões quanto às medicações mais adequadas para cada caso, com base na análise minuciosa dos sintomas particulares de cada um.

Como saber se tenho um dos tipos de depressão?

Se você se identificou com os sintomas que citamos durante o texto, procure um psicólogo ou psiquiatra. Eles são capazes de avaliar os sintomas e orientar o plano de tratamento. Em alguns casos, geralmente mais leves ou iniciais, a psicoterapia e a mudança de alguns hábitos basta para que a pessoa supere a depressão. Entretanto, em casos que estão mais para moderados ou graves, a medicação se faz necessária, e é aí que entra o psiquiatra.

Sabemos que existe certo preconceito quando se fala em psiquiatria. De fato, muitas pessoas têm a ideia errada de que os antidepressivos viciam e que elas precisarão deles para a vida toda. Mas isso é um mito! Os medicamentos antidepressivos não viciam. 5 Eles servem de apoio para ajudar a pessoa a reverter o quadro, e no momento certo, o médico faz a retirada gradual da medicação, o que não causa prejuízos, muito menos abstinência.

**

Esse foi o nosso artigo sobre os tipos de depressão! Esperamos que o conteúdo tenha sido útil para você. Lembre-se: saúde mental é uma preocupação para todos. Se você notar que alguém do seu convívio apresenta sinais de depressão, ofereça suporte e auxilie a pessoa no processo de procurar ajuda. O tratamento da depressão salva vidas! Não deixe essa conversa para depois.

Obrigada pela leitura! Até a próxima. 💛


Referências e datas de acesso:

1- WebMD – Acesso em 19/08/2021.

2- Veja Saúde – Acesso em 19/08/2021.

3- American Psychiatry Association – Acesso em 19/08/2021.

4- WebMD – Acesso em 19/08/2021.

5- Gazeta do Povo – Acesso em 19/08/2021.


Colaborou com este artigo: 

Dr.Thiago Cavenaghi Castanheira –
CRM 184.643